sábado, 28 de fevereiro de 2009

Vazio


As vozes gritaram, não quis ouvir, os sonhos mostraram, fechei os olhos... O destino ergueu-se da lama, do lodo, tocou-me, nojento! Desenterrou do fundo do túmulo o que a morte tinha levado, varreu o pó das memórias e tudo regressa a um aviso, tudo regressa ao que ouvi e vi... Estava escrito nas linhas do destino que assim teria de ser... Que tinha de morrer, de me sepultar, de ser vazia, de tudo e de nada, porque havia demasiado vazia nas coisas que sentia e depois... Demasiado vazio no vazio!
Sufoquei, gritei, gemi! Tinha de me libertar, de me prender, de viver, de ser tudo e ser nada, porque a sombra sempre me acompanhou... Fugi, mas não consegui escapar, nunca me poderia esconder...
Sou... Nem sei mais... Somos o que vivemos... Quando não vivemos, somos o quê?
Roubaram-me primeiro a inocência e deram-me guerra, depois tiraram-me a guerra e deram-me paz, no meio tempo foram-me dando e tirando tudo quanto havia de bom e de mau! Depois... Tiraram-me a alma, a esperança, tiraram-me de mim, e quando pensei que não poderia estar mais perdida...
... Roubaram-me também a dignidade!
Agora...
... Estou apenas...
... Sentada na beira do rio...
... Hei de ver-te passar!

19Jul2007

2 comentários:

Anónimo disse...

.from longer steps i've been following you in this cruel life...side by side...breeding you're own suffer..living your agony...hands holded from a simple and true friendship...
...love in the most pure sense of things is what you're trying to reach...why did you stop living? why did you accept a stupid reason for being unhappy?? I hate to see you're empty eyes full of revolt...
...do not give up what you've reached now...i will be here...allways...for you...in you're growth and in you're fall...allways..hands holded...

Silvia disse...

Um dia Alguém disse:

" O amigo é um outro eu. Sem amizade o homem não pode ser feliz.
(Aristóteles) ".

Beijinhos
Sílvia