segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Não sei

Acordada... procuro nas minhas noites de insónia respostas que se perderam. Acordo da minha noite acordada e não vejo os raios de sol porque me perdi. Não sei, é a resposta para todas as perguntas que me fazem sobre mim... Não sei! E detesto não saber... sobressalto-me com o silencio das palavras que o vento não grita e procuro noutros olhares a sabedoria que não existe em mim, e continuo sem saber...
As lágrimas secam mais uma vez, o leito do meu rio torna a secar,e eu caio em vazio desmedido porque não sei... não me sei libertar das amarras que me prendem a tamanha escuridão, não sei procurar mais... não acredito mas sou incapaz de negar... e mantenho-me assim, num estado de esterna incerteza... espectativa oscilante...
Percorro as paredes que me tentam embalar, procurando a minha sombra que não existe mais porque a alma volta a cair...
Porquê?

1 comentário:

real republica disse...

"águas das fontes calai
óh ribeiras chorai
que eu não volto a cantar"